{casa} sobre mudanças, reformas e cabelos em pé

Sumida, eu? Imagina. Além de toda a correria com os projetos da Meow, eu e o marido mudamos de apartamento. Casa nova é uma delícia, né? Poder fazer tudo do nosso jeitinho, então… A segunda casa é sempre melhor – a gente aprendeu com os erros da primeira, já sabe o que funciona e o que não dá certo, tem mais noção de como quer a decoração e etc.

mudança1

Claro que imprevistos acontecem (vide ter que quebrar o gesso do meu teto dois dias antes da mudança e arrumar com a gente aqui já, ou mudar sem alguns lustres funcionando porque o eletricista conectou o fio terra no circuito, mas ok, ok, águas passadas não movem moinhos). Mas se tem uma coisa que eu não recomendo de forma alguma e jeito maneira é mudar sem tudo pronto. É nessas horas em que eu queria ser rica e fugir pra um hotel ou qualquer lugar do mundo enquanto alguém resolve meus problemas. Já imaginaram que delícia poder chegar na casa nova com tudo no lugar do jeito que você quer, sem lidar com pedreiro, obra, fornecedores e etc? #sonheiacordeiecaídacama

mudança2

Mas aqui estamos, com mais poeira e serragem espalhada pela casa do que nunca, gatas trancadas em um quarto desde que mudamos (elas devem estar revoltadíssimas com o fato de que mudamos para “uma casa menor”, já que só conhecem a suíte há mais de duas semanas) e sobrevivendo de delivery (já que nem pia ou tanque pra lavar a louça temos). E o que aprendi com isso?

- Programe-se. Se eu tivesse deixado comidinhas prontas no freezer e descongelasse tudo no microondas, meu humor estaria cem vezes melhor. Nada me irrita mais do que não comer direito, ou pagar caro pra comer algo meia boca.

- Desapegue. Em alguns dias eu confesso que caí no choro e no desespero de ver camadas grossas de poeira de madeira serrada pela casa, mesa, lustre lindo. Mas adianta limpar? Não enquanto não terminarem tudo. Fazer de conta que não estou vendo é o que melhor funcionou até agora.

- Fornecedores para lá de bons. Não é que o primeiro fornecedor/equipe de montagem fosse ruim, longe disso. Mas o cuidado e atenção pós-venda da segunda loja ajudaram inclusive a me acalmar em momentos de crise. Se colocar no lugar do cliente e ir além do que é minimamente esperado faz a diferença, tanto que estamos bem afim de fechar os móveis dos outros dois quartos com essa loja, mesmo que tenha diferença de preço.

- Tenha um tempo seu. No meio de uma crise de estresse minha (de chorar compulsivamente e não saber o que fazer), o melhor conselho que eu ouvi foi o da sócia Debora: desliga tudo, se fecha, toma um banho demorado e relaxe. Foi exatamente o que eu fiz – fechei a porta do quarto, acendi minha vela preferida e usei meus cosméticos preferidos, aqueles que estavam ainda novinhos.

- Mantenha seu “santuário”. Aquele lugar que estará sempre limpo, que tem um espaço confortável para você ficar sem fazer nada ou mesmo resolver os pepinos. No apê novo fiz meu closet assim – organizei a penteadeira como eu queria, deixei um espacinho para trabalhar, coloquei uma das cadeiras novas e pronto. Ali não se entra com calçado sujo de poeira, não se deixa nada jogado. Um cômod com cara de casa mesmo, para fugir da loucura da reforma.

mudança3

E aí, o que mais vocês me recomendam fazer para passar por esse período turbulento?

  • Marina Pastore

    Muita paciência, Li! Rsrsrs..esse período é tenso…mas depois que fica prontinho, é uma delícia!

  • Andreza Agibert Árias

    A única dica que eu posso dar é pras miauzinhas.
    Você já conhece o Feliway?
    Tb estou em processo de mudar e tenho usado para adaptar os miaus em minha residência provisória. Eles ficam muito mais tranquilos. Vale comprar.

    Bjs