{rotaroots} uma carta para o passado

Oi Lih! Não se assuste, eu sou a Lilian de 24 anos. Você não tem ideia de como a sua vida vai estar em 2014, mas vai por mim – você vai ser feliz.

Eu não vim aqui pra dar spoilers, pra contar quem vai ser seu marido, se você vai passar de ano em física, se a sua melhor amiga ainda vai estar na sua vida, ou coisa assim. Mas eu posso te dar uns conselhos – não para você mudar as coisas, porque tudo pelo que você passar é que vai te moldar como você será (ou como eu sou, no caso); mas para você aprender mais, ficar de olhos abertos e não perder nada.

A primeira coisa que te digo é: aprenda a ouvir a sua intuição. O teu sexto sentido não falha, principalmente sobre o caráter das pessoas. Quanto antes você entender isso, mais fácil será se blindar contra algumas pessoas.

Esqueça esse instinto bobo de vingança. Aprenda a deixar algumas coisas de lado – nesse mundo, todo mundo colhe os frutos daquilo que planta. Mesmo que demore um pouco.

Abra sua cabeça e seu coração para quem passar no seu caminho. A não ser que o teu sexto sentido diga “corra”, essas pessoas serão grandes companhias e serão o teu suporte quando você menos esperar.

Não tenha medo de aprender. Quando você estiver na faculdade (que eu não vou contar qual é, mas só digo que os teus desejos lá de 1999 vão virar realidade), tire o máximo proveito do conhecimento dos professores. Não tenha medo de ser nerd, de estudar de verdade. Se você não seguir esse conselho, um dia esse conhecimento vai te fazer falta.

O mesmo vale pra tua vida profissional: saiba aproveitar cada estágio, cada profissional com quem você conviver. Contatos são tudo, e aprender com quem já está no mercado é muito bom.

Não tenha medo de sonhar. Os seus sonhos nem sempre vão ser colocados em prática como você imaginou, mas quando você planeja as coisas acontecem. Não deixe que o acaso se encarregue da tua vida.

Aprenda a cuidar de você. Você tem uma mania de sempre fazer tudo pelos outros, mas vai chegar um momento em que você precisará ser sua prioridade. E aprenda que isso não é egoísmo – é amor próprio.

Além de “use filtro solar” e “beba bastante água”, ainda te digo para fazer terapia. Vai te ajudar com alguns monstros que a gente sabe que estão por aí ;)

Nos vemos em 2014, combinado?

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva de Março do Rotaroots, um grupo de blogueiros da “velha guarda” da internet. Essa blogagem foi inspirada na TAG “Uma Carta” do blog Hypeness.

{casa} * caçando decoração online

Essa vibe “dona de casa” é tão gostosa! O apartamento novo (que já nem é tão novo assim, já são 4 meses aqui) ainda tem muita coisa pra fazer – e pouco dinheiro pra dar conta! Mas é tão gostoso ir montando nosso lar aos pouquinhos, não é? E a internet torna esse processo ainda mais incrível: do Pinterest aos e-commerces, sem esquecer dos blogs, são tantas ideias que falta casa para colocar tudo em prática.

Aqui em casa os ambientes que estão mais “prontos” são a sala e a cozinha: todos os móveis no lugar, faltando só os frufrus de decoração. São eles que dão o nosso ~jeitinho no ambiente, né? A primeira coisa que eu quero colocar aqui é um belo de um papel de parede na parede da mesa de jantar. É um “paredão”, vem desde a porta de entrada, e essa aplicação vai dar uma carinha mais aconchegante.

Como é um item que dá certo trabalho pra colocar e tirar, eu e o marido estamos pensando em cores mais neutras – apesar que esse azulzinho tá lindo demais!

papelparede

Outra coisa de que eu não abro mão (dessa vez para a parede do corredor) são vários quadrinhos! Estou fazendo uma coleção de pôsteres bonitinhos para mandar imprimir, e quero misturar com fotos e telas de ponto cruz (pois é, voltei a bordar). Mas pra isso preciso de molduras legais, que destaquem o conteúdo e sejam bonitas. Os porta-retratos fazem esse papel lindamente! Minha ideia é usar molduras branquinhas, com texturas diferentes.

molduras

Essas são as minhas prioridades no quesito decoração do lardocelar. Mas quando a gente começa a navegar, é fácil se perder: tapetes, centros de mesa, cortinas, etc, etc, etc… Ainda bem que existem sites agregadores de cupons de desconto, como o Cupons Mágicos. Lá é só entrar, procurar as lojas parceiras de acordo com a categoria ou ficar de olho nas ofertas especiais do dia. Esses itens que eu mostrei são todos da Mobly, que tem um cupom especial para hoje (dia 13) de 15% e, nos outros dias, de 6% de desconto. E no site tem muito mais, vale o clique!

cuponsmagicos

{rotaroots} eu não quero flores

{acabei passando esse post na frente dos outros de blogagem coletiva e meme do Rotaroots}

20140308-143645.jpg

Você já deve conhecer essa história. 17 anos, indo pra faculdade, o coração acelerado e o pânico por perceber que esta sendo seguida. O inferno vivido profissionalmente pelo fato de ser mulher e não ceder ao assédio. O constrangimento ao andar (sozinha ou acompanhada) na rua. As piadas de “mulher no volante, perigo constante”. O receio de ter uma filha mulher, alguém que vá passar pelas mesmas situações. Esse desespero de sentir que não tem solução – só medo.

Essas histórias são reais, aconteceram (e acontecem) comigo. Mas infelizmente eu sei que também acontecem com você. Porque a gente vive em uma sociedade que trata mulheres como algo inferior – e a culpa não é só dos homens, não. É minha e é sua. É assim porque a gente vai na linha de “puta”, “vadia”, “piranha”, “tinha que ser mulher”, “chama alguém pra te ajudar”, “menina brinca de boneca e menino brinca de carrinho”, “mulher não joga futebol”, “vai lavar a louça com as mulheres e deixa os homens falarem de coisa séria”. É assim quando julgamos uma mulher pelo comprimento da saia, pela quantidade de maquiagem, pela cor do batom ou tamanho do decote. E isso dói quando percebemos que a culpa por essa sociedade machista também é nossa.

Aí chega dia 08 de março. E a gente ganha flores na rua, sorrisos e “feliz dia da mulher”. Como se uma rosa fosse apagar um ano inteirinho de humilhação, justificada pelo fato de termos nascido com dois cromossomos X. Desculpa aí, mas eu me junto ao coro de “não quero flores, eu quero respeito“. Quero ser tratada com dignidade em todos os dias do ano. Quero viver ao lado de alguém que entenda que dividir as tarefas em casa não é ajuda, é obrigação. Quero ter a liberdade de ir onde quiser, como quiser e a hora que quiser sem a história de “mulher de respeito não faz isso”. Mulher ~de respeito~ faz o que quer sim – e homem ~de respeito~ não se mete nisso. Não canta mulher na rua. Não intimida. Não persegue. Não acha que é superior: entende a mulher como igual.

Não é porque sou cristã que eu não acredito na igualdade. Cada um, homem e mulher, tem o seu papel igual importância. Afinal, Eva foi feita da costela de Adão para estarem sempre lado a lado – se o plano de Deus fosse que a mulher fosse pisada, ela tinha sido feita do pé, certo?

E é por isso que eu não quero flores. Gosto de um agrado? Claro. Mas quero respeito, e não só hoje. Quero isso todos os dias do ano. Quero que todos os dias sejam dia da mulher ser valorizada nessa sociedade. Utopia? Talvez. Mas sei que as mentes são moldadas aos poucos – e me aquece o coração ver tantas manifestações surgindo com esse objetivo.

Quero que a minha filha possa ir e vir sem medo. Quero que o meu filho cresça entendendo que mulher nenhuma é inferior, e merece tanto respeito quanto sua mãe. Esses são meus objetivos para quando for mãe – porque a sociedade começa dentro de casa.

E você? O que quer nesse 08 de março?

{beleza} alergias e teste de contato

Que eu sou alérgica vocês já sabem – tenho dermatite desde os 3 anos de idade – mas nem mesmo eu sei bem ao quê tenho alergias. Já ouvi muitas coisas ao longo de anos de diferentes médicos: na puberdade passa (aham, é), é de fundo emocional, é psoríase (O.o), é ligada com a imunidade. Essa última faz muito sentido mesmo e eu já senti na pele e no resto do corpo o significado: hoje algo me dá alergia, amanhã pode não acontecer nada. Pelo sim pelo não, evito aquilo que já me causou alergia em algum momento – principalmente alimentar.

Mas no ano passado eu vivia em crise. Tem gente que fala que sai de uma crise alérgica para entrar em outra – comigo era 100% do tempo tomada por coceiras, vermelhões e ardências pelo corpo. Então minha dermatologista (fantástica, por sinal) pediu um teste de contato, já que pelos sintomas a alergia era de contato: algo tópico, e não alimentar. E lá fui eu fazer o exame chato, que consiste em um médico colar várias bolinhas nas suas costas e você voltar ao consultório duas vezes para que a equipe possa analisar suas reações.

De 40 (!) substâncias testadas, apresentei reação a quatro delas, em graus diferentes. Olha só:

Mix de Perfumes (inclui Perfume, Álcool cinâmico, Aldeído alfa-amil cinâmico, Eugenol, Isoeugenol, Geraniol, Hidroxicitronelal e Oak Moss absolute) – aqui a reação foi suave.

Terebintina – também uma reação suave.

Prometazina – reação moderada

Thimerosal – reação forte

Até que a situação não estava tão ruim, né? Escapei dos esmaltes, parabenos (que sempre achei que eram os causadores das minhas alergias), lanolina e outros compostos… Mas vamos analisar.

Thimerosal é um anti-séptico utilizado em medicamentos e cosméticos, mas o próprio teste diz que na maioria das vezes a concentração desse composto é tão pequena que os produtos não causam alergias. Ele está presente no mertiolate, vacinas como a contra a gripe, soluções para lentes de contato e remédios como Piroxican.

[Na minha viagem de formatura da oitava série eu empipoquei INTEIRA nos locais onde me expus ao sol. Sabe bronzeado? Então, era quase isso, só que de bolinhas de alergia. Dias antes eu tinha tomado o tal Piroxican (por indicação médica). E o teste de contato indicou que o Thimerosal causa fotossensibilização, o que explica muita coisa.]

Esse teste também explica o porquê de, quando eu troquei a marca da minha lente de contato, tive uma reação na parte interna da pálpebra: o líquido da lente continha Thimerosal.

Prometazina também causa sensibilização, e é presente em pomadas antipruriginosas – como o Fenergan, pomadinha que todo mundo usa para aliviar coceiras. Alergia ao antialérgico, é isso aí.

Terebintina é encontrada em alguns cosméticos, resinas sintéticas, polidores de móveis e inseticidas. Adivinha quem sempre passou mal e se coçou inteira com SBP e afins?

Mix de Perfumes. Agora o bicho pega, mesmo a reação tendo sido leve. No dia em que peguei o resultado dos testes separei todos os meus cremes e passei a utilizar apenas os sem nenhuma fragrância na composição. “Parfum” na fórmula é condição para vetar a compra de um cosmético, principalmente para cuidados do rosto e do corpo.

Quando sinto a imunidade mais alta, uso um ou outro creminho perfumado no corpo – se a pele está com alguma reação, opto pelos cremes neutros. Perfumes, só por cima da roupa. Maquiagens graças a Deus não causaram nenhuma reação. Mas no final de ano cometi um deslize: usei filtro solar com perfume. Em dois dias de sol e suor (que por si só já agridem a pele), virei uma reação alérgica de perninhas.

Depois desse episódio resolvi tomar mais cuidado com os cosméticos de uso geral, procurando opções sem perfume e terebintina. Contar minha saga pra vocês vai ajudar outras meninas que possam ter o mesmo problema. Quem vem comigo nessa empreitada?

{casa} sobre mudanças, reformas e cabelos em pé

Sumida, eu? Imagina. Além de toda a correria com os projetos da Meow, eu e o marido mudamos de apartamento. Casa nova é uma delícia, né? Poder fazer tudo do nosso jeitinho, então… A segunda casa é sempre melhor – a gente aprendeu com os erros da primeira, já sabe o que funciona e o que não dá certo, tem mais noção de como quer a decoração e etc.

mudança1

Claro que imprevistos acontecem (vide ter que quebrar o gesso do meu teto dois dias antes da mudança e arrumar com a gente aqui já, ou mudar sem alguns lustres funcionando porque o eletricista conectou o fio terra no circuito, mas ok, ok, águas passadas não movem moinhos). Mas se tem uma coisa que eu não recomendo de forma alguma e jeito maneira é mudar sem tudo pronto. É nessas horas em que eu queria ser rica e fugir pra um hotel ou qualquer lugar do mundo enquanto alguém resolve meus problemas. Já imaginaram que delícia poder chegar na casa nova com tudo no lugar do jeito que você quer, sem lidar com pedreiro, obra, fornecedores e etc? #sonheiacordeiecaídacama

mudança2

Mas aqui estamos, com mais poeira e serragem espalhada pela casa do que nunca, gatas trancadas em um quarto desde que mudamos (elas devem estar revoltadíssimas com o fato de que mudamos para “uma casa menor”, já que só conhecem a suíte há mais de duas semanas) e sobrevivendo de delivery (já que nem pia ou tanque pra lavar a louça temos). E o que aprendi com isso?

- Programe-se. Se eu tivesse deixado comidinhas prontas no freezer e descongelasse tudo no microondas, meu humor estaria cem vezes melhor. Nada me irrita mais do que não comer direito, ou pagar caro pra comer algo meia boca.

- Desapegue. Em alguns dias eu confesso que caí no choro e no desespero de ver camadas grossas de poeira de madeira serrada pela casa, mesa, lustre lindo. Mas adianta limpar? Não enquanto não terminarem tudo. Fazer de conta que não estou vendo é o que melhor funcionou até agora.

- Fornecedores para lá de bons. Não é que o primeiro fornecedor/equipe de montagem fosse ruim, longe disso. Mas o cuidado e atenção pós-venda da segunda loja ajudaram inclusive a me acalmar em momentos de crise. Se colocar no lugar do cliente e ir além do que é minimamente esperado faz a diferença, tanto que estamos bem afim de fechar os móveis dos outros dois quartos com essa loja, mesmo que tenha diferença de preço.

- Tenha um tempo seu. No meio de uma crise de estresse minha (de chorar compulsivamente e não saber o que fazer), o melhor conselho que eu ouvi foi o da sócia Debora: desliga tudo, se fecha, toma um banho demorado e relaxe. Foi exatamente o que eu fiz – fechei a porta do quarto, acendi minha vela preferida e usei meus cosméticos preferidos, aqueles que estavam ainda novinhos.

- Mantenha seu “santuário”. Aquele lugar que estará sempre limpo, que tem um espaço confortável para você ficar sem fazer nada ou mesmo resolver os pepinos. No apê novo fiz meu closet assim – organizei a penteadeira como eu queria, deixei um espacinho para trabalhar, coloquei uma das cadeiras novas e pronto. Ali não se entra com calçado sujo de poeira, não se deixa nada jogado. Um cômod com cara de casa mesmo, para fugir da loucura da reforma.

mudança3

E aí, o que mais vocês me recomendam fazer para passar por esse período turbulento?